Author Archives: nunoni

About nunoni

Coleccionador de camisolas do Sporting e entusiasta pela história do Sporting Clube de Portugal.

Uma camisola a menos

Em termos de camisolas recentes, como têm aparecido tantas falsificações, cada vez se procura mais a autenticidade. Para isso, o ideal é saber de onde vem a camisola, para ter a certeza que é de jogo, e não feita em laboratório ou de alguma forma falsificada.

Esta veio diretamente do jogador que a trocou com o Rui Patrício no fim do jogo. Jogo aziago em que fomos eliminados da Taça de Portugal. Travei amizade com o jogador, e veio das mãos dele para as minhas.

Cinco primas

Duas destas camisolas chegaram agora à coleção, no seguimento de uma troca terrível em que perdi algo que nunca mais vou voltar a encontrar. São opções de colecionador, tal como o colecionador com quem troquei teve de optar.

São cinco camisolas Le Coq Sportif do Sporting quase iguais, e no entanto há aqui quatro modelos diferentes, apenas duas são do mesmo exato modelo. No fundo, não são irmãs, são cinco primas que aqui estão. E ricas primas! São de 1984/85 e 1985/86.

cinco-primascinco-primas-numeros

A camisola do Coates

Há casos estranhos e este é um deles. Lá para outubro do ano passado perguntarem-me se vendia duas camisolas: uma muito antiga, outra a do Coates da Missão Pavilhão. Achei estranho, porque são coisas muito diferentes mas dei um preço para a do Coates, o qual era um preço mais que razoável tendo em conta a camisola que é. Não houve resposta, mas tempos depois voltaram a perguntar-me pela camisola, uma segunda pessoa. Fiz o mesmo preço mas notando que uma outra camisola do jogo Missão Pavilhão tinha estado à venda por muito mais. O comprador aceitou, tínhamos tudo apalavrado, mas já depois disso ele diz que afinal dava menos. Tentou a sorte a ver se pegava.

Mas não pega. Eu só tenho uma palavra e não negoceio com artistas que dizem uma coisa e depois voltam atrás. A pessoa voltou atrás e aceitou o negócio original… mas eu não.

Uma semana depois outra pessoa pergunta por 3 ou 4 camisolas, uma delas… a do Coates. Eu dei o preço, que para a do Coates era o mesmo de sempre. E não é que o rapaz diz que está com pouco dinheiro etc e tal, e fica só com a do Coates? Não sou parvo, e recusei.

E mais uma semana, e tive uma oferta direta… pela camisola do Coates. A oferecer menos do que eu pedia mas mais do que o artista original queria pagar. Ena! Eu expliquei que sim, mas o preço era XXX – bem alto, e se me voltassem a perguntar seria ainda mais alto.

Agora, o comprador original que tinha perguntado pela primeira vez, voltou à carga a dizer que afinal agora voltava a ter interesse. Eu dei o preço XXX – alto. A pessoa diz que estranha o encarecimento súbito… deve ser mesmo muito estranho.

E não é que um dia depois uma quinta pessoa me pergunta por uma série de camisolas antigas, mas daquelas extraordinárias com 20 ou 30 anos, e…. pela do Coates?

Será que é de responder?

Acho que sim. Mas essa camisola, com 5 potenciais compradores, deve ter alguma coisa de extraordinário e valer uma fortuna. Pelo menos! O preço da camisola do Coates, a partir de hoje, é €1000. Quem não quiser não compra, quem quiser, compra.

Mas vou continuar a não negociar com quem tem duas faces (ou três ou quatro ou cinco), portanto reservo-me o direito de só vender a quem eu quiser.